Soluções trazem mais rapidez aos processos de trabalho, mas ainda são etapas recentes de uma grande jornada de inovação

União Internacional de Telecomunicações (UIT), agência das Nações Unidas, divulgou recentemente o resultado de uma pesquisa que aponta que 3,9 bilhões de pessoas estão conectadas à internet. Este número indica que 51% da população mundial está ligada à rede. Nesse contexto, o Wi-Fi 6 e o 5G aparecem como evoluções para tornar ainda mais ágeis e eficientes as nossas conexões. Mas você sabe como?

Para falar em Wi-Fi 6 e 5G, é importante reforçar que, sim, estamos cada vez mais conectados. Para se ter uma ideia da dimensão disso, um levantamento realizado pela Visual Capitalist em 2019 identificou que são feitos, em média, 1 milhão de logins no Facebook; 41,6 milhões de mensagens são enviadas no WhatsApp; 3,8 milhões de buscas são feitas no Google; 4,5 milhões de vídeos são visualizados no YouTube; 695 mil horas de vídeos assistidas na Netflix; e mais de 347 mil “scrolls” (movimento de baixar a tela) ocorrem no Instagram, tudo isso em apenas um minuto.

Por isso, neste artigo, vamos abordar os aspectos mais importantes dessas novas tecnologias de conexão, como estas soluções podem acelerar as mudanças nas vidas das pessoas e, principalmente, como irão impactar a maneira que você faz seus negócios.

Wi-Fi 6: inovação ininterrupta da conexão

A mais nova geração de Wi-Fi, conhecida como 802.11ax, ou simplesmente Wi-Fi 6, é a etapa mais recente de uma jornada de inovação da conexão que se baseia nos pontos fortes do 802.11ac (Wi-Fi 5), aumentando sua eficiência, flexibilidade e escalabilidade, o que permite que as novas redes atinjam maiores velocidades, podendo atingir quase 10 Gbps, cerca de 40% superiores às atuais.

Com melhorias na velocidade, latência e maior densidade de dispositivos conectados, o Wi-Fi 6 é ideal para redes corporativas, especialmente em áreas onde os pontos de acesso atenderão muitos usuários ao mesmo tempo, como estádios, salas de concerto, empresas com grande fluxo de pessoas e centros de convenções.

Entre os principais impactos que o Wi-Fi 6 trará para as organizações, podemos citar

Conexão com mais dispositivos

Considerando que cada colaborador utiliza, em média, três gadgets em sua rotina de trabalho, quanto mais dispositivos exigirem conexão ao mesmo tempo, mais lenta a rede tende a ficar e, logo, mais complicada ficará a navegação, atrapalhando as atividades.

Com os novos e mais velozes recursos do Wi-Fi 6 – que já estão disponíveis -, é possível manter uma conexão forte e diminuir os gargalos, mesmo com muitos dispositivos conectados. Outra disponibilidade ofertada é a largura de banda: o Wi-Fi 6 traz canais de 160 MHz para aumentá-la e permitir que as pessoas tenham maior desempenho com baixa latência, mesmo com crescimento exponencial.

Menos interferência

Roteadores e outros equipamentos compatíveis com a nova tecnologia utilizam uma assinatura chamada de BSS Color, que ajuda a identificar pacotes de informações de rede e prevenir interferências de outros Access Points e clientes. A nova solução de conexão será capaz de ignorar dados que não são direcionados a eles, diminuindo os ruídos e ofertando uma navegação sem interrupção e mais ágil e fluida.

Economia de energia

Para economizar energia, contribuindo para a diminuição de gastos da empresa e o desperdício de recursos naturais, o Wi-Fi 6 apresenta o recurso chamado Target Wake Time (TWT), que permite aos roteadores programarem horários de verificação de status dos dispositivos conectados a ele. Por isso, aparelhos com suporte Wi-Fi 6, principalmente celulares, gastarão menos bateria, pois, quando não utilizados, poderão ficar inativos.

Mais segurança

O protocolo WPA3 se tornou um requisito obrigatório para que os roteadores com suporte Wi-Fi 6 sejam certificados pela Wi-Fi Alliance (responsável por trazer a tecnologia wireless para o Brasil). Ele introduz a criptografia de 192 bits para troca de dados, que aumenta a dificuldade de rastreamento ou hackeamento de informações enviadas de um ponto de acesso para smartphones, SmartTVs e outros dispositivos conectados.

Tecnologia 5G: a evolução das conexões sem fio

A quinta geração das redes móveis, conhecida popularmente como 5G, chegou para suprir essa crescente demanda de conexões por dispositivos móveis, sendo a evolução da internet 4G, utilizada atualmente. Para exemplificar o que estamos falando, as redes da quarta geração são capazes de entregar uma velocidade média de conexão de, aproximadamente, 33 Mbps. Estima-se que o 5G será capaz de entregar uma velocidade entre 50 e 100 vezes maior, podendo alcançar até 10 Gbps, dependendo da região.

As redes 5G expandem os serviços sem fio de banda larga. Além da melhoria na velocidade, espera-se que a nova rede gere um ecossistema massivo para a Internet das Coisas (IoT), no qual será possível atender às necessidades de comunicação de bilhões de dispositivos conectados, com um equilíbrio entre velocidade, latência e custo, beneficiando, assim, os usuários e as empresas em espaços geográficos não alcançados pelo Wi-Fi 6.

Assim, a 5G é um complemento das redes corporativas, que permite uma continuação do trabalho com a mesma agilidade e velocidade fora das dependências da empresa, enquanto possibilita aos clientes experimentarem novas tecnologias nos seus dispositivos móveis, permanecendo ainda mais conectados.

Aplicações como realidade aumentada e realidade virtual, vinculadas ao IoT, se tornarão cada vez mais presentes graças às redes 5G. Como exemplo disso, podemos citar, carros autônomos e casas 100% inteligentes comandadas por smartphones. Hoje em fase de testes, muitas dessas soluções só poderão ser colocadas em prática quando as redes 5G estiverem disponíveis.

A estimativa é que, a partir de 2019, os provedores de serviços em algumas partes do mundo iniciem o processo de adaptação para oferecer o serviço 5G em algumas regiões para testar a conectividade. Por volta de 2021, o serviço 5G se tornará comum em muitas grandes cidades dos EUA, Japão e China, Europa, Oriente Médio África e Rússia, com lançamentos importantes até 2023.

No Brasil, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) deve realizar o leilão das faixas de frequências necessárias para o funcionamento do 5G em março de 2020. A expectativa para começar a comercialização de planos de telefonia 5G aos consumidores finais deve ocorrer por volta de 2021.

Preparando-se para a tecnologia Wi-Fi 6 e 5G

O Wi-Fi 6 já está disponível e o 5G está em processo de implantação.

E para acompanhar tantas transformações, é importante que as empresas se prepararem para a onda de novos produtos e serviços que inundará o mercado, fazendo uso desta infraestrutura de novas tecnologias. O impacto destas alterações mudará não apenas a rotina da vida pessoal de todos, mas também como os negócios e seus colaboradores irão performar suas atividades, além de abrir um grande leque de novas ofertas aos nossos clientes.

Cisco oferece as melhores soluções para a implantação da tecnologia do Wi-Fi 6 de forma consistente e confiável, com capacidade de transmitir mais dados para mais clientes do que os padrões Wi-Fi anteriores, incluindo a IoT, e atingir velocidades até quatro vezes mais rápidas que o Wi-Fi 5 para impulsionar mais aplicativos e melhorar o desempenho do seus negócios.

Para a adoção do 5G, a Cisco fornece uma rede automatizada e cloud-to-client, ou seja, a arquitetura é definida por software, que prioriza a nuvem e abrange implantações de empresas e provedores de serviços para oferecer o máximo das novas tecnologias com toda a segurança e infraestrutura necessária.

A era das  conexões rápidas chegou. Então, não perca tempo, entre em contato com a InfraTI e conte com um parceiro que há mais de 12 anos trabalha para melhorar a conectividade das empresas.