As vantagens da tecnologia na área da saúde vão do gerenciamento de profissionais à melhoria do atendimento aos pacientes

Orbitando a uma altitude de aproximadamente 400 km da Terra, na Estação Espacial Internacional, um astronauta identificou uma trombose venosa profunda no pescoço, em novembro do ano passado. Sem a medicação adequada ou um médico a bordo, a solução foi tratar do problema a distância – um exemplo extremo de telemedicina e de como a tecnologia é uma grande aliada para os avanços médicos. Engana-se, porém, quem acredita que healthcare é coisa de outro mundo ou só é aplicado em casos extremos, como este.

É bem verdade que, lá no início da telemedicina, na década de 1960, o objetivo era prestar assistência médica aos tripulantes de expedições espaciais, monitorados por médicos na Terra. Mas logo se percebeu que essa tecnologia poderia ser aplicada para cuidar de pacientes que moram em áreas isoladas e têm pouco acesso a especialistas.

O desenvolvimento acelerado desse ramo da medicina impressiona. Até pouco tempo, a ideia de um robô fazendo uma cirurgia era completamente assustadora. Ainda estamos longe de enxergar essa cena de forma habitual nos hospitais, mas já se provou que esses ajudantes superprecisos e minimamente invasivos são o futuro da cirurgia.

Ao mesmo tempo, o healthcare permite o acompanhamento seguro e ágil de pacientes de forma remota, sanando dúvidas e realizando consultas e acompanhamentos. Sem precisar sair de casa com um bebê recém-nascido, por exemplo, os pais podem obter orientações com profissionais da saúde em tempo real, evitando deslocamentos e chances de possíveis contaminações ao visitar um hospital ou clínica.

A adoção dessa prática também colabora na medicina preventiva, com médico e paciente trocando informações online. Ao terem acesso ao histórico de saúde e acompanhá-lo frequentemente, os profissionais podem identificar fatores de risco e orientar sem a necessidade de uma consulta presencial.

Vantajoso para os pacientes e familiares, mas também para os profissionais da saúde. A tecnologia possibilita que um clínico geral com dúvidas sobre seu paciente possa pedir uma segunda opinião a um especialista que está distante, por meio de videoconferências, por exemplo. Ou, então, a transmissão das imagens de uma cirurgia pode ser estudada nas faculdades de medicina para o treinamento dos futuros cirurgiões.

A seguir, vamos abordar os principais conceitos e explorar como a tecnologia vem transformando a área da saúde!

Telemedicina e healthcare

De forma sucinta, podemos entender a telemedicina como o uso de tecnologias associado ao atendimento não presencial. Por meio de videoconferências, os médicos podem fazer televisitas para acompanhar as condições clínicas de um paciente, dar orientações básicas e iniciais e até fazer diagnósticos.

Diversas especialidades podem usar a telemedicina, principalmente as que conseguem fazer uma avaliação clínica visual. Além de médicos, outros profissionais da saúde, como nutricionistas e psicólogos, também podem fazer atendimento a distância.

Uma pesquisa da MarketDataForecast, realizada no ano passado, indicava que o mercado global da telemedicina chegava a US$ 35,46 bilhões. Em 2020, essa cifra será ainda mais volumosa com o impacto da pandemia do novo coronavírus sobre esse segmento.

Já o mercado de healthcare engloba uma gama de serviços, do atendimento aos laboratórios, dos planos odontológicos às redes de farmácias. É o conjunto de cuidados de saúde que visa ao tratamento de doenças e à manutenção de uma vida saudável. Por conta disso, inclui, também, as novas tecnologias empregadas para que a telemedicina ocorra, como plataformas para o atendimento em casa, o uso de aplicativos para otimizar processos como a marcação de consultas e até o monitoramento de sinais vitais dos pacientes via tecnologias vestíveis (wearables).

A utilização de blockchain, computação na nuvem, Inteligência Artificial, robótica e Internet das Coisas (IoT) só está começando. Em um mundo cada vez mais digital, o healthcare pode horizontalizar a oferta de serviços médicos com uma rapidez infinitamente maior do que a do atendimento presencial, diagnóstico precoce, monitoramento de pacientes crônicos e muito mais.

As tecnologias mais modernas em healthcare

Tecnologias de colaboração

Por trás do atendimento prestado pelo profissional da saúde ao paciente, existe toda uma engrenagem que precisa funcionar sem atritos. As tecnologias de colaboração da Cisco garantem que médicos, equipes de atendimento, setores de administração e TI possam trabalhar conjuntamente, com agilidade e redução da complexidade de operação e custos.

>> Leia também: Como a colaboração cognitiva impacta os ambientes de trabalho

Cuidados sob demanda

Os pacientes não estão interessados ou não podem esperar semanas para se consultar. Para reduzir a espera, 65% deles indicam que gostariam ​​de uma visita virtual ao médico. Assim, plataformas como Cisco Webex Meetings para Healthcare permitem oferecer uma melhor experiência de telemedicina para os pacientes.

Em um único ambiente de trabalho virtual, os profissionais podem gerenciar todo o atendimento ao paciente. A solução inclui até rastreabilidade de logs das conexões e gravações dos atendimentos. Tudo isso com segurança total dos dados.

Segurança o tempo todo

Por falar em segurança, o blockchain, um sistema descentralizado para registro e arquivamento de dados, tem sido muito usado para prevenção de fraudes bancárias. Mas é um aliado de peso para guardar registros fidedignos sobre os pacientes, acabando com a contestação de diagnósticos e repetição de procedimentos médicos. Isso aumenta a confiabilidade e a segurança da informação.

Internet das Coisas (IoT)

Reunindo e compartilhando informações mais rapidamente do que nunca, os dispositivos conectados estão desempenhando um papel cada vez maior no healthcare. Para se ter uma ideia, estima-se que 7,1 milhões de pacientes já estão usando dispositivos médicos conectados. E o mercado global de assistência médica sem fio deve chegar a US$ 110 bilhões neste ano.

De wearables que coletam informações de forma autônoma a sensores no chão para identificar quedas e notificar cuidadores, familiares ou até serviços de emergência, a Internet das Coisas permite o acompanhamento em tempo real de diversas condições de saúde.

Big Data

Big Data é essencial para que profissionais façam a avaliação e as estimativas que servem como base para programas de prevenção e rastreamento de patologias e fatores de risco. Só com uma solução robusta de gerenciamento de dados é possível cruzar informações como registros médicos, prontuários eletrônicos, dados de dispositivos vestíveis ou smartphones que monitoram as atividades dos pacientes, resultados de exames e mapeamento genético de forma rápida e precisa.


Mais autonomia aos pacientes

Imagine como seria se os pacientes tivessem mais controle de sua experiência hospitalar, com acesso fácil a informações sobre cuidados, conteúdo educacional e entretenimento. Isso já é possível com uma plataforma que vincula pacientes, cuidadores familiares e equipe de atendimento. O acesso seguro e compartilhado a conteúdo médico personalizado permite uma experiência de assistência otimizada e individualizada.

Vantagens da tecnologia na área da saúde

Profissionais da saúde, hospitais, pacientes e até mesmo o Estado podem se beneficiar das inovações promovidas pelo mercado de healthcare. A redução de custos certamente desponta como um dos principais benefícios, além de vir acompanhada de maior produtividade das equipes, que podem deixar de lado tarefas repetitivas e se dedicar a ações técnicas ou estratégicas.

Além de maior conveniência para todos, também há o monitoramento remoto de pacientes, que previne doenças e evita o agravamento das condições de saúde já diagnosticadas. Isso estimula a autonomia do paciente e diminui o tempo de espera para atendimentos.

A Cisco torna a inovação possível em mais de 17 mil organizações de saúde em 118 países. Saiba como podemos ajudá-lo a implementar essas soluções clicando aqui.